Escrituração digital facilita exportar com isenção de insumos


Nos próximos 90 dias, indústrias de todo o País poderão exportar mercadorias sem pagar tributos federais na compra de insumos. Esse é o prazo que as empresas terão para aderir ao Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial com controle informatizado (Recof-Sped). Regulamentado na última quarta-feira, dia 27, no Diário Oficial da União, o Recof-Sped entrará efetivamente em vigor daqui a três meses, quando as empresas poderão aderir ao novo sistema, que usa notas fiscais eletrônicas para registrar as transações. Segundo o subsecretário substituto de Aduana e Relações Internacionais da Receita Federal, José Carlos de Araújo, a expectativa é aumentar em 50 vezes, de 20 para 1 mil, o número de indústrias que fazem parte do Recof. "A grande vantagem de usar a escrituração eletrônica é a redução de custos. A empresa não terá mais de desenvolver sistemas para a Receita monitorar a compra de insumos, a produção e a movimentação de estoques. Tudo será levantado automaticamente por meio da nota fiscal eletrônica", explica Araújo. Segundo ele, o desenvolvimento do sistema de acompanhamento usado até agora no Recof tradicional custa, em média, R$ 2 milhões, o que restringia o regime especial a grandes indústrias.

Jornal do Comércio - 01/02/2016 - Página 12


₢ 2018 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Monica Ferraz de Almeida