Agricultura pede isenção de PIS Cofins em importação de milho


O Ministério da Agricultura pediu à equipe econômica do governo proposta de isenção de PIS/Cofins na importação de milho, até o fim do ano, para forçar a queda do preço do produto no mercado interno. Segundo o secretário de Política Agrícola da pasta, Neri Geller, a medida visa a atender às regiões deficitárias, que precisam comprar o grão de outros países produtores, principalmente da Argentina e do Paraguai. Apesar da alíquota de importação nos países do Mercosul ser zero, as compras externas têm a incidência de 1,65% de PIS e de 7,6% de Cofins. "Considerando o preço médio de importação nos últimos três anos, de US$ 149,40 a tonelada, a incidência dos tributos de 9,25% representa um custo adicional de US$ 13,80 por tonelada. Assim, esses tributos geram acréscimo aos importadores do cereal", argumentou o secretário.

Jornal do Comércio - 22/07/2016 - Página 10


₢ 2018 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Monica Ferraz de Almeida