Quatro meses de calmaria antes de novo temporal


O sucesso na arrecadação antecipada do IPVA, somado ao aumento da receita de ICMS com as vendas de Natal, garantirá um janeiro relativamente calmo na Secretaria da Fazenda. O governo vai passar por quatro meses de calmaria, antes que o tempo comece a se armar para os próximo temporais. Até abril, os servidores podem respirar aliviados: o risco de atraso nos salários é mínimo. Dos R$ 2,56 bilhões da arrecadação prevista do IPVA, R$ 755 milhões foram pagos até segunda-feira, data-limite para quitação do imposto com o desconto máximo. Esse valor representa um crescimento de 15,02% em relação ao valor arrecadado até 30 de dezembro de 2014. No total, mais de 1 milhão de proprietários de veículos optaram pela antecipação – 12,87% a mais do que no ano anterior. Com a mudança do calendário de pagamento do IPVA, que encurtou o prazo de julho para abril, a arrecadação ficará concentrada nos quatro primeiros meses do ano. A partir de fevereiro, a receita de ICMS deve começar a crescer por conta do aumento do imposto, que passou a vigorar em 1º de janeiro. A preocupação, porém, é com a retração da economia, que pode derrubar a previsão de receita extra de R$ 2 bilhões. As preocupações recomeçam em maio, se intensificam em junho, com o início do pagamento da primeira parcela do 13º de 2015 chegam ao ápice em novembro. É que as parcelas do 13º não são todas iguais: de junho a outubro, o governo pagará 10% a cada mês. Em novembro, terá de quitar os outros 50%. E em dezembro, será preciso pagar o 13º de 2016. No meio dessa travessia turbulenta, as fontes de receita extra são escassas. Uma será o aperto na cobrança de devedores, com o protesto em cartório. A principal injeção deve vir da venda da folha de pagamento dos servidores para o Banrisul. Estima-se que a negociação renderá pelo menos R$ 1,2 bilhão por um contrato de cinco anos ou R$ 2,5 bilhões se a exclusividade for de 10 anos. Ontem, o governador José Ivo Sartori voltou a descartar a possibilidade de vender o Banrisul. Disse que, ao contrário, todas as medidas adotadas por seu governo têm por objetivo fortalecer o banco estadual.

Zero Hora - 06/01/2016 - Página 10

#economia

₢ 2018 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Monica Ferraz de Almeida